HOUSTON - Um movimento que tem acontecido muito por aqui na OTC é o contato entre empresas estrangeiras e brasileiras com o intuito de formarem parcerias. Muitas companhias internacionais têm interesse em atuar no Brasil, mas nem sempre encontram os melhores caminhos, então o evento acaba sendo um momento oportuno para este tipo de diálogo.

As exigências de conteúdo local têm feito com que algumas empresas deixem de lado o antigo modelo de representação e busquem novos formatos de inserção no mercado brasileiro, por meio de joint ventures, aquisições e outros tipos de parcerias.

Um dos executivos presentes na feira, José Amorim (à esquerda da primeira foto), que é presidente da Fechometal, ficou animado com os resultados dos primeiros dias da feira.

“No primeiro dia foi interessante e no segundo dia ainda mais, pois recebemos muitas consultas para vendas diretas e parcerias com empresas internacionais.  Seguramente está sendo importante estarmos aqui”.

A Empresa Brasileira de Engenharia (EBE) foi outra que marcou uma série de reuniões com empresas internacionais, principalmente da China e de Singapura, com o intuito de trazer novas tecnologias para aplicar em projetos brasileiros.

A Chemtech é outra que aproveita  feira para divulgar seus projetos no exterior e aumentar seus contatos com empresas internacionais, assim como a Ferral, que busca novas oportunidades para a empresa, já que o mercado brasileiro anda passando por um momento complicado.

“Estamos atentos a todas as oportunidades, mas o mercado fala muita coisa que nos deixa inseguro [sobre o Brasil]. Mesmo assim acredito que tudo será resolvido. Acho que precisaremos esperar acabar a eleição para o país voltar a crescer na nossa área”, afirmou o diretor da Ferral, Marcus Gomes.

Fonte: Petronotícias