A exploração de petróleo e gás em águas profundas deverá atrair para o Rio de Janeiro investimentos em um novo segmento, o de forjarias de aços especiais.

A empresa italiana Marcora, em parceria com o grupo brasileiro Gaia, planeja instalar uma planta industrial com aporte estimado em R$ 120 milhões no município de Seropédica, a cerca de 70 km da capital fluminense.

A fábrica deverá produzir aproximadamente 40 mil toneladas em equipamentos de aço para extração de petróleo em condições submarinas.

A companhia já fornece suprimentos do gênero para o setor petrolífero nacional, mas atualmente as peças são importadas de sua unidade localizada em Milão.

“Esses investimentos vão reforçar a cadeia de óleo e gás com um elo que hoje ainda não possui empresas em operação”, afirma Julio Bueno, secretário estadual de Desenvolvimento do Rio.

Procurado, o grupo brasileiro que faz parte do negócio confirmou as informações, mas não quis falar -mais detalhes serão divulgados em março, quando o projeto será oficialmente lançado.

Outra empresa italiana do mesmo segmento, a Galperti, comprou uma área em Duque de Caxias para investir R$ 65 milhões em uma planta industrial, ainda segundo a administração estadual.

Desde o ano passado, o governo do Rio trabalha na formação de um polo específico de companhias de serviços e suprimentos do setor de exploração submarina.

“Hoje, já são 85 empresas no Estado na área de ‘subsea’, mas há potencial para crescer mais”, afirma Bueno.

Fonte: Jornal Folha de S. Paulo