A Tv da Obra desembarca em Altamira, no estado do Pará onde vamos conferir uma das maiores e mais importantes obras de infraestrutura do Brasil, a Usina de Belo Monte.

Localizada no rio Xingu, o projeto só saiu após 36 anos de estudos e adaptações. A solução que a engenharia encontrou para aproveitar o relevo da região e alagar o mínimo possível foi separar o circuito de geração principal, chamado de sitio Belo Monte, do barramento do rio, chamado sitio Pimental. A ligação entre essas duas estruturas é feita através de um canal de derivação e um reservatório intermediário.

Nossa primeira parada foi no sitio Belo Monte onde as estruturas gigantescas chegam a assustar.

Para chegar na altura ideal, foram escavados 20 milhões de metros cúbicos de solo, em 91 metros de profundidade. Esse desnível é necessário para fazer a queda d’água em direção às turbinas que por sua vez, aproveitam a pressão para gerar energia. Na casa de força de Belo Monte, serão instaladas 18 turbinas Francis, com capacidade de gerar 600 megawatts cada uma.

Mesmo com as inúmeras divergências ocorridas no inicio da construção, o projeto agora segue em ritmo acelerado e precisa se manter assim para que todos os prazos sejam cumpridos. O trabalho das formas e dos escoramentos é extremamente essencial para garantir a produtividade da obra.

Essa obra utiliza a mais alta tecnologia de formas e escoramentos que existe e isso proporciona o desenvolvimento da obra no prazo solicitado pelo cliente. Ressalta João Rocha Junior, gerente da unidade – sítio Belo Monte. “Aqui são aplicados aproximadamente 40 mil metros quadrados de formas e cerca de 70 mil metros cúbicos de concreto por mês, onde 70% disso é bombeado. Sendo assim, nós estamos realizado estudos contínuos em busca de melhorias em sistemas de formas e escoramentos” finaliza.

A Ulma Construction participa desta grande empreitada com o fornecimento de formas especiais, escoramentos e acessos. Os projetos foram desenvolvidos junto com o corpo técnico de engenharia, afim de adequar as soluções as reais situações exigidas.

No sitio Pimental localizado a 40 km de Belo Monte, esta em construção uma barragem de 30 metros de altura composta por uma casa de força complementar, 6 turbinas bulbo e um vertedouro de 18 comportadas.

O túnel de sucção que leva a água até a turbina possui um formato diferenciado. A entrada é circular e a saída é quadrada. Para este projeto em especial, foi utilizado o sistema MK da Ulma, especialmente desenvolvido para construções de alta capacidade de carga e com uma grande versatilidade de aplicações. O escoramento que se move por meio de trilhos garante agilidade e racionalização na execução, gerando economia de tempo e mão de obra. É o que afirma o engenheiro de obras do sitio Pimental, Rafael Haviaras:

“Nessa forma desenvolvida você tem o escoramento e as chapas metálicas que são reaproveitadas em varias unidades. Você não tem desperdício de material além disso, é possivel montar a forma em 15 dias, um prazo muito menor do que a forma de madeira que você monta em até 3 meses.”

A forma é montada do lado de fora do túnel, e lançada com a ajuda de um guindaste no local de aplicação. Após o trabalho concluído, o guindaste retira a forma e a leva para ser utilizada em outro lugar.

“Por ser uma forma especial, a geometria dela só serve para essa estrutura, porém é possível adaptar outra forma e reutilizar o escoramento.” complementa Rafael.

Outras soluções proporcionadas pelo Sistema MK que merecem destaque é na formação de torres para o escoramento de alta capacidade de carga para a estrutura do peito de pombo e também para o escoramento da estrutura do Stay Column.

A 3ª maior usina hidrelétrica do mundo terá capacidade de produzir aproximadamente 11 mil megawatts de potência, o que significa que ela sozinha poderá abastecer 26 milhões de habitantes com perfil de consumo elevado como nas grandes captais brasileiras.

Fonte: Portal dos Equipamentos